Filthy Gorgeous

Abriste a porta do quarto com as tuas costas, enquanto as tuas mãos agarravam firmemente o meu rabo e os teus braços me levantavam e me mantinham encostada a ti. Agarrei-me atrás do teu pescoço e deixei que os nossos labios colidissem. Mordi-te o lábio e puxei-o para mim como provocação para te obrigar a querer mais. Não esperaste e voltaste a beijar-me, enfiando a tua na língua na minha boca, acariciando a minha. Ao acariciar a tua com a minha, dei-te a autorização para a manteres la dentro, deixando-me desejosa por mais. Sentaste-te em cima da cama, comigo ao teu colo e senti a tua mão debaixo da minha camisa. Separei os nossos lábios, olhei para ti e mordi o lábio. Senti então os teus dedos a desabotoarem os botões da minha camisa, um a um, de cima para baixo. Destapaste-me a parte de cima do corpo, descobriste-me os ombros e beijaste-os suavemente, como se estivesses a marcar o teu território. Tiraste-me por completo a camisa e beijaste-me o pescoço e ao mesmo tempo passeaste os teus dedos pelas minhas costas para abrires o sutiã. Senti um calafrio a subir pela espinha a cima, à medida que este caia, expondo os seios ao mundo que naquele momento eras só tu. Beijaste-me novamente e não hesitaste em passar as mãos por eles, acariciando-os. Senti o meu sexo a ficar húmido e o desejo a penetrar-me. peguei nas pontas da tua t-shirt e despi-te a parte de cima do teu corpo. Acariciei e beijei o teu pescoço, mordendo-o de vez em quando. Empurrei-te para trás e deitei-te. As tuas mãos continuavam a percorrer o meu corpo e as nossas línguas encontraram-se outra vez. Inclinei-me sobre ti, apoiando-me sobre a cama. os teus dedos desceram até ao botão das minhas calças, que de imediato senti a ser desabotoado e o fecho a abrir. Viraste-te e deitaste-me debaixo de ti. Não sei se foi a ansiedade ou a vontade, mas nunca me tinham despido umas calças naquela rapidez. Acariciaste-me a perna e agarraste-a com força, parecia que estavas à espera que eu te fizesse sinal para tirares por tua vez as tuas calças. Desabotoei o teu botão e à medida que me beijavas, senti um sorriso maroto a esboçar-se nos teus lábios. Despiste-te a ti e a mim por completo e levaste-me para debaixo dos cobertores. Ficaste por cima, entre as minhas pernas e momentos depois, já não era só o desejo carnudo que me estava a penetrar.

8 comments:

  1. Oh, não quero escrever sobre ele xD Tipo, não é pessoal LOL
    Quero desafiar a minha capacidade de escrever ficção quando não estou triste --, sim, porque eu quase só consigo escrever quando estou triste. E eu não quero. Mas é que não escrevo nada, nada mesmo ;-; já me senti tão frustrada com isso que até já me vieram as lágrimas aos olhos x.x

    ReplyDelete
  2. sure, mas falamos lá mais para o final da tarde ou à noite, que eu agora às 2 vou ter exame de economy (nervos! -.-)

    ReplyDelete
  3. you know what, i'm getting a boner for reading this text!

    ReplyDelete
  4. minha querida, a minha lingua é o espanhol : D
    obrigadaaaa *.*
    sim, eu fiz esse texto e também me senti o frio. era o frio, alias.

    ReplyDelete
  5. claro.
    até pq não é propriamente minha minha xp

    ReplyDelete
  6. muito explicito, mas muito bom ^.^

    ReplyDelete