Carnival of rust

Irresistívelmente desejável, sem dúvida a melhor descrição que tenho para este Ser. Camuflagem composta por uma beleza intrigante que sai por todos os seus poros e um brilho invulgar que só é visível a meus olhos. Intermitentemente atencioso, um dia espraia-se na minha mente, e no outro dissipa-se dela. Não se contenta com uma simples visita, insiste em albergar-se a si próprio, fazendo questão de nunca deixar que se crie uma rotina. Vai e vem quando bem lhe apetece. Nunca fica sem partir e nunca vai sem voltar, construindo assim uma barraca mental que se vai construindo paulatinamente. Onde será que arranja aquela madeira tão resistente que nem com as mais ferozes ventanias e aguaceiros se assola? De uma forma aquilina, mantém os seus defeitos sonegados dos meus olhos, à medida que ostenta as suas qualidades. E à medida que deixa as suas acções contradizerem as suas palavras, continua a ser o sujeito emaranhado que sempre foi e no entanto, é o enigma que eu mais gostaria de decifrar.

6 comments:

  1. now is my turn:
    wow, wow, wow jay! está lindo :|

    ReplyDelete
  2. não me leves a mal perguntar-te isto mas foste tu que escreveste este texto?

    ReplyDelete
  3. epah a´sério, se for para mim põe um J grande em evidência nos textos! xDD

    ReplyDelete
  4. É bom ver alguém tão feliz pela blogosfera. :P

    ReplyDelete
  5. apesar de ter algumas partes um pouco confusas, está mesmo muito bem escrito! a escrita nem parece tua, daí a minha pergunta. parabéns (:

    (p.s: tive que sair, amanhã falamos. beijinho *)

    ReplyDelete
  6. oukay
    mas é weird mesmo ._.

    ReplyDelete